Projeto CE-DOHS
Corpus Eletrônico de Documentos Históricos do Sertão


FAPESB, Processo 5566/2010/Consepe: 202/2010

Coordenação:

Zenaide de Oliveira Novais Carneiro
(UEFS/Fapesb/CNPq)

Mariana Fagundes de Oliveira Lacerda
(UEFS/Fapesb)

Feira de Santana - BA, Brasil

Corpus Eletrônico de Documentos Históricos do Sertão [ CE-DOHS ]

Voltar

Corpus Compartilhado Diacrônico – Cartas Brasileiras (PHPB-BA/Tycho Brahe/PROHPOR)

Os documentos estão editados em XML, utilizando a ferramenta eDictor (desenvolvida por Pablo Faria, Fábio Kepler e Maria Clara Paixão de Sousa). Essa tecnologia de edição digital foi inspirada no Corpus Histórico do Português Tycho Brahe, coordenado por Charlotte Galves.

Amostra/Edição fac-similada (período) Corpus
Cartas para vários destinatários (a partir de 1724) 208 Cartas
Edição fac-similar e semidiplomática composta por 208 cartas e 114 remetentes, extraídas de Carneiro (2005). Essas cartas, dirigidas a diversos destinatários, estão depositadas no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHBA), Arquivo Público do Estado da Bahia (APEBA) e Centro de Estudos Feirenses da Universidade Estadual de Feira de Santana (CENEF). (ver mais)
Cartas para Cícero Dantas Martins, Barão de Jeremoabo (a partir de 1850) 190 Cartas
Edição fac-similar e semidiplomática composta por 190 cartas e 43 remetentes. Essas cartas, dirigidas a Cícero Dantas Martins, Barão de Jeremoabo, estão depositadas no Centro de Documentação da Fundação Clemente Mariani (fundo ABJ), em sistema de doação por comodato. (ver mais)
Cartas para Severino Vieira, Governador da Bahia (a partir de 1850) 102 Cartas
Edição fac-similar e semidiplomática composta por 102 cartas e 60 remetentes, extraídas de Carneiro (2005). Essas cartas, dirigidas a Severino Vieira, Governador da Bahia, estão depositadas no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHBA). (ver mais)
Cartas particulares do Recôncavo da Bahia (a partir de 1770) 42 Cartas
Trata-se de 158 cartas, em edição semidiplomática, do Recôncavo baiano, datadas do século XIX, de 1818 a 1886, uma amostra primorosa para a realização de estudos dentro de uma perspectiva sociolinguística, na medida em que é possível determinar, na ampla maioria dos casos, onde, quando, por quem e para quem os textos foram escritos. Esse conjunto de cartas -- extraído de Lobo (2001) -- faz parte de um corpus geral diacrônico para o estudo da constituição histórica do português brasileiro, contendo um subconjunto de documentos escritos por imigrantes portugueses e um subconjunto de documentos escritos por brasileiros predominantemente pertencentes ou à elite, ou ao grupo social que lhe é imediatamente próximo na hierarquia social. No subconjunto escrito por remetentes brasileiros, há exemplares que se podem considerar representativos de variedades populares do português brasileiro, o que ocorre ou pelo fato de haver escribas pertencentes a estratos sociais inferiores, ou pelo fato de haver escribas pouco escolarizados e/ou com baixo grau de letramento entre os brasileiros ditos da elite. (ver mais)
Cartas do Acervo Dantas Jr (a partir de 1880) 243 Cartas
Edição fac-similar e semidiplomática composta por 242 cartas e 113 remetentes. Essas cartas, dirigidas a João da Costa Pinto Dantas Jr., neto do Barão de Jeremoabo, estão depositadas no Centro de Documentação da Fundação Clemente Mariani (fundo ABJ), em sistema de doação por comodato. (ver mais)
Cartas Baianas: Acervo do Dr. João da Costa Pinto Victória (a partir de 1860) 102 Cartas
Edição fac-similar e semidiplomática composta por 102 cartas e 05 remetentes. Essas cartas, dirigidas a integrantes da família Costa Pinto, estão depositadas no arquivo Particular do Dr. João da Costa Pinto Victoria. (ver mais)
Correspondências Amigas: o Acervo de Valente, Bahia (a partir de 1960) 94 Diversos
Edição fac-similar e semidiplomática composta por 94 correspondências, sendo 79 cartas, 15 cartões com escrita do remetente, além de mais 9 cartões apenas com ilustrações impressas e 38 remetentes. Essas cartas, dirigidas a Adelmário Carneiro Araújo, estão depositadas no Arquivo Particular da família Carneiro Araújo, em Valente/Bahia. (ver mais)
Cartas em Sisal/Mãos Cândidas/Cartas de Inábeis (a partir de 1870) 131 Cartas
Edição fac-similar e semidiplomática composta por 131 cartas, escritas por 53 remetentes, extraídas de Santiago (2019). Essas cartas foram escritas por sertanejos oriundos de comunidades rurais dos municípios de Riachão do Jacuípe, Conceição do Coité e Ichu, localizadas na região sisaleira do semiárido baiano. (ver mais)
Cartas do Acervo Particular da Família Soledade (a partir de 1900) 30 Cartas
Conjunto de 100 cartas manuscritas (apenas 1 é datilografada), trocadas entre baianos cultos, Otto Soledade Júnior e Renée da Silva Barros Soledade , de 1948 a 1951, que se encontra no arquivo pessoal de Juliana Soledade, neta do casal. (ver mais)
Cartas do Acervo particular da Família Freire (a partir de 1900) 17 Diversos
Pequeno conjunto de cartas, bilhetes e cartões manuscritos, trocados, sobretudo, entre Carlos Ribeiro Freire e Iracema Batista Chéquer Freire, que se tornaram marido e mulher. São as correspondências trocadas entre eles sobretudo correspondências de amor. Escrita nos anos de 1937, 1938, 1939 e 1942, a documentação – 17 correspondências no total, representativas de normas cultas do português brasileiro – se encontra no arquivo pessoal de Tânia Conceição Freire Lobo, neta de Carlos e de Iracema. (ver mais)
Cartas do Acervo da Família Estrela Tuy (a partir de 1890) 3 Cartas
Composto por 153 textos pessoais (139 cartas, 11 bilhetes e 3 cartões), escritos em diferentes localidades do estado da Bahia (Alagoinhas, Água Fria, Biritinga, Irará, Lamarão, Mata de São João, Ouriçangas, Salvador e Serrinha), em grande parte, datados e localizados, produzidos por 41 remetentes (16 mulheres e 25 homens) pouco e mediamente escolarizados. Todos os missivistas, falantes de um português brasileiro socialmente estigmatizado, são baianos oriundos, em sua maioria, de cidades interioranas e da zona rural, onde a base da economia era a agricultura e a pecuária. (ver mais)
Cartas Marienses (a partir de 1900) 90 Cartas
Conjunto de 69 cartas, 17 cartões e 5 bilhetes, escritos entre 1935 e 1995, na cidade de Coração de Maria, estado da Bahia, por 31 redatores, sendo 17 do sexo feminino e 14 do sexo masculino. São principalmente cartas de caráter afetivo, enviadas com o objetivo de expressar saudades, obter e dar notícias, fazer pedidos; trocadas entre mães e filhos, irmãos, primos, amigos, compadres, vizinhos. Os remetentes, em sua maioria, possuem apenas o nível primário de ensino, portanto pouco familiarizados com as normas gramaticais disseminadas pelo processo de escolarização. (ver mais)
Cartas da Família Oliveira (a partir de 1930) 23 Cartas
Edição fac-similar e semidiplomática composta por 23 cartas e 2 remetentes. As cartas estão depositadas no acervo pessoal da família Oliveira, em Feira de Santana. (ver mais)
Edição semidiplomática de cartas pessoais escritas na região de Feira de Santana (a partir de 1890) 0 Cartas
Trata-se de edição semidiplomática de cartas pessoais escritas na região de Feira de Santana, décadas de 40, 50 e 60 do século XX do Projeto Sistema Pronominal no Português falado no Semiárido Baiano: um estudo em tempo aparente e em tempo real de curta duração (FAPESB 020/2010/Agosto de 2011 a agosto de 2013), coordenado por Norma Lucia Fernandes de Almeida. (ver mais)
 
Corpus compactado: Para ter acesso a todo o corpus editado nas
versões texto (TXT) original e modernizado, favor clicar aqui.
Patrocínio e apoio:


Universidade Estadual de Feira de Santana
Departamento de Letras
e Artes

Núcleo de Estudos de Língua Portuguesa (NELP)

Av. Transnordestina, s/n -
Novo Horizonte
Feira de Santana-BA, Brasil
Caixa Postal: 252 e 294
CEP.: 44.036-900
+55 75 31618265

Projeto Vozes do Sertão em Dados: história, povos e formação do português brasileiro (CNPq. Processo 401433/2009-9/Consepe: 102/2009) (acessar)